quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Carregando Pedras


 Dois amigos aventureiros, um dia resolveram fazer uma trilha numa floresta bem conhecida na região. Dentro daquela floresta havia uma pedra muito alta, na qual as pessoas se aventuravam a escalar.
Os dois, saíram logo cedinho, num Domingo, preparados, com suas mochilas carregadas com tudo que eles precisariam para o passeio: água, comida, protetor solar, kit de primeiros socorros, câmera fotográfica e tudo mais quanto julgaram necessário. Eles tomaram o cuidado de não esquecer nada essencial, porém sem sobrecarregar com peso a mochila que deveriam levar nas costas durante todo o trajeto.
E assim saíram, alegres e empolgadas com o programa que há tempos vinham planejando.
A estrada era longa até que chegassem à pedra, e representava uma boa parte do trajeto que incluía céu aberto, mata fechada, pastos íngremes, riachos, e uma miscelânea de solos e flora.
Logo ao iniciarem a trilha, um dos jovens tropeçou em uma pequena pedra, que lhe fez parar a caminhada. Ele abaixou-se, pegou a pequena pedra e disse ao amigo:
-Vou guardar essa pedrinha em minha mochila, como recordação do nosso passeio, que poderia ter sido interrompido ainda no princípio por ela, caso eu tivesse caído e me machucado.
E assim o jovem o fez, guardou aquela pedra em sua mochila.
Um pouco mais andaram e se equilibrando entre pedras para atravessar um pequeno riacho, aquele jovem teve que encontrar em si habilidade para tanto. E mais uma vez, ele guardou um pedra, aquela em que ele achara mais difícil se equilibrar.
Nem um terço do caminho andado e aquele jovem que parecia ser encontrado pelas pedras do caminho, observou que não cabia mais nenhuma pedra em sua mochila a não ser que começasse a se desfazer dos pertences que trouxera de casa. E um a um, ele foi se desfazendo deles, substituindo por pedras, que ele tomara como troféus na dura trilha.
O jovem que carregava a mochila repleta de pedras se viu cada vez mais devagar no caminho, e seu amigo - que ele mesmo aconselhara a segui seu ritmo normal de caminhada - cada vez mais distante. Ele já estava cansado e ofegante, e parava a cada pequeno trecho do caminho, e em cada parada mais uma pedra que “quase” o atrapalhara ia para mochila.
O dia foi longo, e o caminho mais longo do que realmente era tanto para o jovem que carregava a mochila de pedras, quanto para o seu amigo, que por vezes diminuía seus passos e parava para que a distância entre ele e seu companheiro de estrada diminuísse.
Quando o primeiro jovem chegou à montanha, ele sentou-se para esperar seu amigo, que já vinha quase se arrastando na estrada. Ao chegar, com o pouco fôlego que lhe estava restando, ele disse:
-Amigo, eu paro por aqui, estou muito cansado. Não aguento mais! Você está muito mais bem preparado fisicamente do que eu, agradeço por ter parado para me esperar, pode continuar sem mim.
Ao que o amigo lhe falou:
-Eu não estou mais bem preparado que você. Eu consegui chegar por que só trouxe na bagagem o essencial, enquanto você carregou pedras até aqui, e cada vez mais uma, que foram tomando o lugar de tudo que te sustentaria até aqui, sem você ao menos se dar conta de que se desfazia dessas coisas, e até esqueceu a importância delas. O que te impediu foi guardar tudo aquilo que você pensava que “quase te derrubou”.
Imagine, carregar pedras para fazer uma trilha? Parece absurdo, mas quantas vezes fazemos isso. Como? Carregando mágoas e ressentimentos por coisas que os outros nos fazem, por planos que foram frustrados, por ideias que não agradaram. Às vezes carregamos para não magoar ninguém, outras porque fomos magoados por alguém, e até porque magoamos os outros. Fazemos isso quando insistimos em remoer o passado, em trazê-lo vívido em nossa lembrança, ao não conversar sobre problemas que precisam ser discutidos, ao não perdoar aqueles que nos ferem.
Às vezes enchemos tanto a mochila de pedras, que não nos damos conta de que pelo caminho vão ficando coisas essenciais como nossa alegria, ânimo, disposição, bondade, humildade, fé, e tantas coisas maravilhosas que são destruídas por todo ressentimento alimentado.
Aqueles que carregam fardos pesados demais acabam se afastando dos outros e afastando os outros deles, e hora ou outra estacionam no caminho.
As pedras que carregamos não são só sobrecarga na nossa bagagem mas criam uma barreira entre nós e Deus, e o culto que a Ele prestamos: Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta”(Mateus 5:23-24).
Se você está desanimado, triste, sem forças, ansioso demais, medroso, inseguro, se o peso que carrega parece aumentar a cada dia, se seus passos estão cada vez mais lentos, e você está cada vez mais cansado, o que acha de sentar e descarregar a mochila?
Sigamos o conselho de Paulo ao Filipenses: “...esquecendo-se das coisas que para arás ficam, e avançando para as que estão adiante de mim, prossigo para o alvo...”(Filipenses 3:13b,14a).
Eu lhe faço um desafio, jogue a primeira pedra fora: a da vergonha, medo, ou soberba, compartilhando esse link com alguém te machucou com a seguinte mensagem: “Tome de volta sua pedra”, mostrando assim que o perdoa e está disposto a não remoer mais o passado.
Caso alguém carregue uma pedra pelo que você tenha lhe feito, então envie o link com a mensagem: “Devolva minha pedra”, demonstrando assim que reconhece sua falha e almeja perdão.
“Tome de volta minha pedra”:
http://saosoretalhos.blogspot.com.br/2012/09/carregando-pedras.html


Ou
 
“Devolva minha pedra”:
http://saosoretalhos.blogspot.com.br/2012/09/carregando-pedras.html

Ninguém passa pela vida ileso, todo caminho tem pedras, cabe a vocês escolher passar por elas e continuar a caminhada, ou recolhê-las e acabar sendo detido por elas.
E eu vou devolver e recolher algumas pedras por aí...

Brunna Stefanya Leal Lima Cabral
 
Caso deseje citar integral ou parcialmente este texto, favor citar a autora e a fonte, exceções conceituam-se plágio.

Leia também: Vazio ou Cheio demais?  


Gostou do Texto? Não gostou? Tem alguma crítica ou sugestão?       
Não deixe de votar abaixo expondo seu nível de satisfação com o texto.     
Deixe também seu comentário! Sua opinião é muito importante para que eu continue escrevendo, e é uma grande motivadora. 
Obrigada! 

7 comentários:

  1. muito oportuno o seu texto,eu acho que carrego bagagem desnecessaria...tenho pedido a Deus que me liberte de coisas do passado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reconhecer o excesso de bagagem já é um bom princípio Cildinha!
      Abraços querida

      Excluir
  2. NOssa, que texto lindooooooo!!! Quanta sabedoria fluiu de vc! Obrigada por compartilhar comigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Giovanna! Eu que agradeço por ler!
      Abraços

      Excluir
  3. Bom texto Brunna e a iniciativa a partir dele, fantástica.
    De quebra, o blog tá um show, layout lindo e prático.
    Parabéns, é você melhor do que nunca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Herisson!
      Vc é sempre suspeito!...rs
      Abraços

      Excluir

Obrigada pelo seu comentário!
Que Deus lhe abençõe!!!

Direitos Reservados

MyFreeCopyright.com Registered & Protected
Plágio é Crime! Gostou? Quer usar o texto inteiro ou parcialmente? Peça autorização!

Agregadores

Tecnogospel: Os melhores links evangélicos Tedioso: Os melhores links agrega dicas maislinks Pop Blogs: O melhor da Web está aqui Links - Amigo De Cristo

Origem do Público desde 22 de Agosto de 2.012